Liv. Materia De Poesia

R$44,90

Resenha

A linguagem de Manoel de Barros se insurge contra o convencional, o grandioso e o mercantil. Materia de poesia e, nesse sentido, um livro revolucionario, um contraponto a tudo aquilo que a civilizacao rejeita como menor. Com prefacio de Mia Couto e imagens do acervo pessoal do poeta. Todas as coisas cujos valores podem ser / disputados no cuspe a distancia / servem para poesia. Assim comeca Materia de poesia, livro publicado originalmente em 1974 em que Manoel de Barros explicita do que e feita sua arte. Pois ela e composta de versos que sao frases ritmadas ao res do chao, nascidas da atenta observacao do que nao e importante. A materia da poesia une palavras e coisas. Quase um manifesto que reflete o projeto de escrita de Manoel, os poemas reunidos neste volume unem seres e objetos aparentemente inconciliaveis. Nesta que e uma de suas obras mais importantes, se destacam tambem o apurado trabalho com a linguagem e o olhar para as coisas miudas da natureza, nomeadas como se estivessem sendo vistas pela primeira vez. Afinal, nas palavras do proprio poeta: As coisas jogadas fora/ tem grande importancia . Fala-se muito da capacidade de criacao de neologismos do poeta do Pantanal. Creio que o seu merito e bem mais do que a conquista do novo vocabulo. Manoel revela toda uma lingua que nao ha para nomear criaturas que existem numa dimensao que, sendo onirica, e tao real como qualquer outra. Mia Couto, do prefacio do livro A partir de Materia de poesia, o poeta passa a ser mais metalinguistico, parte de pequenos bichos aquaticos, insetos e inutensilios (trastes sem prestimo) para compor uma especie de cosmologia oculta. Manuel da Costa Pinto, Folha de S.Paulo

Nome do Autor

Barros, Manoel De

Editora

Editora Schwarcz Sa

Peso

0.100

Categorização

Dc - Poesia

Share: