O sol do Brasil

R$84,90

Resenha

Nicolas-Antoine Taunay foi um artista academico, do circulo intimo de Napoleao e Josefina, que desembarcou no Brasil em 1816, acompanhado de outros pintores como Jean-Baptiste Debret e Grandjean de Montigny. Considerado o membro mais importante do grupo, trazia na bagagem a intencao de se transformar em pintor do rei. Nunca existiu, porem, uma missao francesa nos moldes como a historiografia a caracterizou: d. Joao jamais contratou artistas para a sua corte, muito menos artifices do antigo inimigo frances, que forcara a vinda do monarca ao Brasil. Ao contrario, foram os artistas que se autoconvidaram, com o proposito de criar aqui uma Academia, igual a que existia no Mexico. Como a vinda desses pintores nao era oficial, a eles so restaria a agenda da corte: as exequias de d. Maria, a coroacao de d. Joao e o casamento de d. Pedro, para os quais construiram cenarios frageis e misturaram os tropicos com modelos da Antiguidade grega e romana. A vida de Taunay entre nos nao foi facil. Como homem da Ilustracao, ele nao encontrou lugar para os escravos em suas pinturas: se a natureza era imensa, ja os escravos surgiam cada vez mais diminutos, quase borroes no meio da tela. Os tropicos pareciam dificeis de representar, e Taunay sempre reclamou da luz brilhante demais da America, dos verdes excessivos das florestas e do ceu do Rio de Janeiro, que considerava absolutamente exagerado . Por outro lado, a tao sonhada Academia nao saia do papel, e, quando finalmente foi fundada, Taunay acabou preterido na estrutura da instituicao. Fartamente ilustrado - sao 103 imagens em preto-e-branco e mais dois cadernos coloridos com 45 telas que o pintor realizou na Europa e no Brasil.

Nome do Autor

Lilia Moritz Schwarcz

Editora

Cia Das Letras

Dimensão

23x16x2,3

Peso

0.100

Categorização

Aga - Historia De Arte
Historia Da Arte

Share: